Foto: Federação Nacional dos Arquitetos Urbanistas
CidadesGoiásTurismo

Cidade de Goiás: 293 anos de história, tradição e desenvolvimento

Diretora dos museus Ibram em Goiás faz palestra na terça (19) em ...
Museu das Bandeiras/Ibram em Goiás (GO)

A cidade de Goiás está entre as principais rotas turísticas de quem visita o Estado de Goiás. A cidade goiana, hoje conhecida como Cidade de Goiás, foi a primeira capital do Estado e surgiu da existência de um vilarejo chamado Arraial de Santana, fundado no século XVIII por Bartolomeu Bueno, filho de Bartolomeu Bueno da Silva, o bandeirante conhecido como Anhanguera, que havia partido de São Paulo em direção às terras de Goiás em 1682.

Em 1739, a colonia localizada no Rio Vermelho, onde grande quantidade de ouro havia sido descoberta, passou a se chamar Vila Boa de Goiás, mantendo-se como capital do Estado até 1934. A cidade de 22 mil habitantes foi tombada como monumento histórico nacional e se encontra a 144 km de distância de Goiânia, a atual capital do Estado.

Turismo

Entre as principais atrações turísticas da cidade de Goiás Velho encontram-se antigas igrejas como as igrejas do Carmo (1756), de São Francisco de Paula (1761), de Santa Bárbara (1780) e de Nossa Senhora da Abadia (1790). No interior desses antigos templos religiosos destacam-se obras de influência barroca, pinturas do século XIX e trabalhos do escultor Veiga Vale, originário da cidade de Goiás.

A igreja de Nossa Senhora da Boa Morte, construída em 1779, abriga atualmente o Museu de Arte Sacra da cidade, que exibe 36 dos 200 trabalhos em escultura atribuídos a Veiga Vale. É possível visitar também o Museu das Bandeiras, situado no prédio onde funcionava a antiga Câmara e a Cadeia Pública, construído em 1755. As paredes têm um metro de largura e foram preservadas da forma original.

O acervo do museu inclui instrumentos de tortura que datam do período da escravidão, mobiliários das igrejas, quadros e objetos de arte diversos, documentos históricos e produtos artesanais elaborados pelos índios Carajás. Outro edifício datado do século XVIII e preservado na cidade de Goiás é o Palácio do Conde dos Arcos (1756), que contém preciosas peças de mobiliário da época e hoje foi transformado num centro cultural.

Palácio Conde dos Arcos

A casa do século XVIII, onde viveu por toda a vida a poetisa Cora Coralina, que se tornou um símbolo da cidade de Goiás, também se transformou em museu onde podem ser encontradas fotografias, mobiliário, prêmios e vídeos ilustrativos de sua vida e de seu trabalho.

O atelier da artista Goiandira é também local de atração de turistas e amantes das artes plásticas. A matéria prima de seus trabalhos é exclusivamente areia, em várias tonalidades, recolhida pela própria artista nos rios da região, e utilizada em telas de diversos tamanhos, que reproduzem com a perfeição de mestre, paisagens rurais e urbanas do Estado de Goiás. Sua obra já foi objeto de várias reportagens internacionais e seus quadros encontram-se atualmente espalhados por todo o mundo.

Hoje, Cidade de Goiás investe também no ecoturismo, graças à vizinhança da Serra Dourada. Há trilhas que levam a cachoeiras, como as das Andorinhas, que passam pelos Rios Mandu e Zanzan e chegam ao Cânion da Carioca e ao Morro das Lajes, o melhor local para ver o sol se pôr.

Fonte: Domínio Público e Cidades de Goiás